O Santo Graal

Santo Graal, um objeto sagrado que guarda segredos? O que é? Para que serve?

Santo Graal
O Santo Graal retratado em uma janela de vitrais na Catedral de Quimper/ Crédito: Wikimedia Commons/Thesupermat

A cristianização da lenda pagã céltica. Um mistério que permeia obras literárias, filmes, séries e todo um universo imagético que envolve Idade Média.

A lenda surgiu do conto do escritor francês do século II, chamado Chrétien de Troyes com inspiração celta, o texto relata as façanhas heroicas do mítico Rei Arthur e dos famosos cavaleiros da Távola Redonda.

Esta obra marca o início das novelas do ciclo arturiano e da demanda do Santo Graal.

Quem nunca ouviu falar da espada Excalibur, Rei Arthur, bruxa Morgana, Perceval e do bravo cavaleiro Lancelot?

Personagens que percorrem nosso imaginário e nos levam inclusive ao cinema para ver filmes como “Indiana Jones e a Última Cruzada.

Dentre esses personagens, destaca-se a figura de Perceval, um cavaleiro de coração puro e honrado, que após inúmeros testes e provações, chega ao encontro do famoso Graal.

A Conquista do Graal/Crédito: Wikimedia Commons/ e/ed/Galahad_grail.jpg

Santo Graal o que é?

Mas afinal, o que é o Santo Graal?

Para muitos é um objeto, uma relíquia relacionada ao próprio Cristo, o cálice usado na última ceia, ou seja, a primeira eucaristia, no qual pão e vinho, transformam-se no corpo e no sangue de Cristo.

Alguns autores, associam José de Arimatéia a lenda, onde ele teria coletado o sangue de Cristo na crucificação.

O poeta e cavaleiro alemão, Wolfram Von Eschenbach em sua obra Parzival, nos diz que o Santo Graal não é um cálice, mas sim uma pedra mágica – Lapis Exilis – uma pedra filosofal, capaz de transmutar qualquer metal considerado “inferior” em ouro e no caso da obra, uma pedra trazida do céu por pelos anjos – associada aos alquimistas da Idade Média – com poderes e símbolo da elevação da consciência.

Os muitos Graals

A confusão não para por aí, outros autores dizem ser um livro que continha os ensinamentos de Cristo.

Estudiosos afirmam que o Santo Graal não é um objeto e que de acordo com os evangelhos apócrifos – os que não foram mencionados na Bíblia – nele constaria a verdadeira descendia de Cristo, isto é, toda uma linhagem real.

Para aumentar ainda mais a controvérsia, inúmeras igrejas afirmam possuir o cálice sagrado, inclusive a de León, na Espanha, em que um grupo de cientistas garantem terem encontrado o verdadeiro Graal.

E você no que acredita? Quais das versões é realmente a verdadeira?

Elixir da vida, conhecimento universal, elevação da consciência ou cálice sagrado com poderes mágicos?

Em outras palavras, como Perceval, seguimos ainda sem respostas na demanda do Santo Graal.

Para saber mais:

Documentário History Channel Brasil : O Santo Graal: Em Busca do Tesouro Sagrado

Wikipidia : O Santo Graal e a Linhagem Sagrada – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

Autor: carinafeitosa

Estudante de Jornalismo, tataraneta da poeira cósmica, devota de Nossa Senhora da Cinefilia e pensadora itinerante

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.